sábado, 13 de outubro de 2012

Cogito ergo sum?


Hoje me perguntaram se Sueto existe, se não seria apenas fruto de minha imaginação.
Procurei explicar que existe, que se trata de um felino de carne, pelo e osso e que tem, do ponto de vista ontológico e material, o mesmo grau de existência de qualquer humano ou ser vivo.
Minha resposta, no entanto, não pareceu convencer inteiramente meu interlocutor.
Mas, pensando melhor, fui me dando conta de que a dúvida procedia.
Afinal eu próprio, que convivo com a Sueto cotidianamente, fico em alguns momentos a cismar até que ponto é real um pequeno animalzinho  que se intromete de tal forma na minha vida ( e de meus amigos) , em meus atos, em meus pensamentos e sentimentos ao ponto de ficarmos discutindo sua existência e suas idéias.
Dou-me conta, então, neste momento, que a discussão da realidade de sua existência entra num terreno que transcende a simples questão de saber se ela respira, se move, se alimenta ou cumpre outras funções que atribuímos aos seres “reais”.
Ou seja , responder que existe pela presença destes aspectos, digamos, primários ou básicos, é responder muito pouco.
Então, o que dizer?
Confesso que, buscando uma resposta, fico sem ter nenhuma que me convença ou que pudesse, minimamente, ser esclarecedora a todos que se indaguem.
Não sei se é de ajuda mas, enquanto escrevo estas palavras, Sueto entra no escritório. Dirige-se até a escada para o andar superior e olha para cima. Está conferindo se a porta de acesso no topo da escada está aberta. Tem especial predileção por subir a escada e gosta, especialmente, de fazer isto num impulso só  como se fosse um tipo de brincadeira.
Mas está fechada e, com um ar de decepção, olha para mim.
Como não faço nenhum gesto indicativo de que possa ajudá-la dirige-se ,como quem já conhece as alternativas que dispõe, para a sala e pula prá cima da poltrona.
E fica ali , se eu me demorar , até dormir.
Enquanto isto , no meio da noite, ocupado com meus papéis, sinto que tenho companhia.
Esta presença me dá uma sensação confortável  e me faz, acima de qualquer especulação metafísica, perceber que a existência de Sueto é muito forte.
Do contrário, a pensar doutra forma, quem poderia ficar em dúvida se existe seria eu mesmo. 

2 comentários:

  1. Sim, essa gatita pensante e ronronante existe P.r. Existe sob vários aspectos, inclusive sob o abstrato e impalpável... é já como se fora um espírito que se desdobra do negro corpinho de gata e visita diversos lugares... mesmo estando aí a dormir sobre a poltrona fazendo companhia silenciosa a ti. [Flam]

    ResponderExcluir
  2. Flam, é verdade, ela existe... o que ainda me cabe descobrir é exatamente no que consiste ou se tornou essa existência pois confesso que parece ter extrapolado os limites de meu total controle...

    ResponderExcluir