sexta-feira, 29 de agosto de 2014

"Mucufa"

domingo, 24 de agosto de 2014

Edward St.John Gorey

Edward St. John Gorey (Chicago, Illinois, 22 de fevereiro de 1925 - Hyannis, Massachusetts, 15 de abril de 2000) foi um escritor e artista americano, reconhecido por seus livros ilustrados de tom macabro mas com certo senso de humor.

Sua paixão pelo balé foi bem conhecida (durante muitos anos, assistiu a todas as apresentações do New York City Ballet) bem como pelos gatos
Ambas as figuras aparecem em sua obra.
Seu conhecimiento da literatura e do cinema era incomumente extenso, e em suas entrevistas citava entre seus artistas favoritos Jane Austen, Francis Bacon, George Balanchine, Balthus, Louis Feuillade, Ronald Firbank, Lady Murasaki Shikibu, Robert Musil, Yasujirō Ozu, Anthony Trollope e Vermeer.

De 1996 até a data de sua morte, em abril de 2000, Gorey, normalmente solitário, foi objeto de um documentário dirigido por Christopher Seufert, ainda inédito. 
Sua casa em Cape Cod, chamada Elephant House, agora serve como galeria e museu. 
A influência de Gorey pode ser encontrada em alguns artistas contemporâneos, como Tim Burton, Lemony Snicket e Shaun Tan.

Cute Kitty Knows How To Let Her Owners Know They're Loved.


 When Franzie the cat gets an opportunity for a hug, he grabs it with both paws! Owner Tricia Carr says Franzie is an equal opportunity hugger and will reach up for snuggles with just about anyone. It also helps him to get some extra one-on-one time with his humans, as he has to compete with several other household cats for petting. This kind of behavior, while unusual, is not unknown in cats. It usually begins with an instinctual reach up to get the attention of a human caregiver. When that behavior is rewarded with extra attention, the cat may learn to associate stretching its front paws up with affection. However, some viewers question whether the owners are helping Franzie by placing their hands underneath his front legs.

Book Buddies


sábado, 9 de agosto de 2014

Facebook


sábado, 2 de agosto de 2014

Sobrevivência


Penso que cada um pode tirar deste video sua interpretação. 
Para mim é um momento único em que o acaso, o destino, o imponderável mostram-se presentes numa situação na qual a intervenção humana surge como uma ameaça, mortal, ao curso da vida e da natureza. 
É quase uma fábula da sobrevivência. 
Um momento raro pelas circunstâncias no qual o homem, mesmo que involuntariamente, não consegue matar.
 Emociona e nos faz sentir invasores, culpados de nossa intromissão.

Cachorros nunca sabem o seu lugar....