sábado, 18 de maio de 2019

IGOR, MEU AMIGO PARISIENSE


Igor, por enquanto, quando não está no sono, gosta de brincar com Michele sua humana. Está muito novinho. Quando estiver mais crescidinho vou convidá-lo para ser meu amigo no face.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

MIAU, o GATO APTO!


MIAU, o GATO APTO! ,  convive ao me consta harmoniosamente com o poeta Marco Valença que já andou gravando uma poesia de meu inquilino P.R.Baptista.
Eles que são artistas que se entendam, eu me interessei foi pelo Miau Apto, gatinho lindo.... 

terça-feira, 14 de maio de 2019

ÚNICA LUZ - P.R.Baptista



Gato felino,gato selvagem
quando não dorme, espreita
olhar,narinas e orelhas
- a boca não mexe -
acompanham cada ínfimo movimento no espaço
os sentidos captam a essencia de cada momento
em meio ao próprio infinito

gato selvagem, felino
movendo-se em meio às folhas
da mata seca de papeis
dos livros das biblioteca
e em meio às almofadas

mas algo se induz
de seus olhos que dão
à sala em penumbra
uma luz unica
que não são eles daqui
deste mundo humano e pequeno
mesmo se engordam
e apenas nos tomam de empréstimo
ou nos reservam
como presas futuras

P.R.,Baptista

sexta-feira, 10 de maio de 2019

O PESADELO DE SUETO

Certa manhã, quando Sueto acordou de sonhos angustiantes, descobriu que em sua cama tinha se transformado em um monstruoso ser humano

One morning, as Sueto was waking up from anxious dreams, she discovered that in her bed she had been changed into a monstrous human being


Sueto acordou no meio da noite sobressaltada.
- Que foi? perguntei-lhe meio sonolento.  - Mais um de seus pesadelos?
Sueto tem tido sonhos intranquilos.
Segundo me revelou o que mais a tem perturbado é o pesadelo de que acorda transformada em um ser monstruoso.
-- Uma barata? perguntei-lhe inicialmente para não fugir de seus pendores literários.
-- Não, revelou-me, algo muito mais horrível.
Tinha demorado um tempo, depois de ter tido o mesmo pesadelo algumas vezes, para que eu entendesse que o "ser monstruoso"  no qual temia se acordar transformada, era um humano.
-- Mas os humanos são monstruosos assim? ainda tentei argumentar para contestar a razão de sua perturbação.
Sueto nem me respondeu o que me fêz concluir que, efetivamente, devem ser.
Sequer tentei argumentar, dentro do terreno que lhe agrada, que o fenômeno poderia ter alguma coisa a ver com suas leituras, de Kafka especialmente.
Mas o motivo da perturbação de Sueto esta noite era outro. 
Não quis, contudo, sequer me dar uma idea do que se tratava. 
Se descobrir eu conto.


domingo, 5 de maio de 2019

HORA DO LANCHE


Pela esquerda, Sueto, Falujah, Loïck ( no centro), Syria e Tari. A Sueto e a Tari se estranham muito, na realidade a Sueto promove bullying, O Loïck , o único macho, é o public relations, se dá bem com todos, lambe todos.
O espaço em que se encontram, por enquanto ainda em reforma, é quase exclusivo deles. Tem até lareira.
Pouco usam no verão mas, no inverno, ficam mais recolhidos e a Sueto, Loïck e Syria, podem dormir juntos.
A Falujah, que é a mais velha, tem vida própria. A Tari, pelo bullying da Sueto , tem ficado isolada e não costuma ficar muito no ambiente.
Sueto tem uma espécie de autoridade sobre todos.
Muita falta da Mina.


n  

sábado, 4 de maio de 2019

LA SIESTA


domingo, 14 de abril de 2019

UMA PAIXÃO

.
Adoro carros.
Sempre que posso entro neles na garagem.
E não recuso uma carona.
Mas prefiro os carros do que o jipe Toyota que, hoje, veio para a garagem.
O jipe não é silencioso e está sem ar condicionado.
Também não tem som e fico impedida de ouvir Vivaldi.
Nunca perco a oportunidade, contudo, de entrar nele e dar uma voltinha
Ou, simplesmente, passar o dia deitada no banco

sábado, 13 de abril de 2019

HORA DO LANCHE


Quinteto reunido no flat que dividem na hora do lanche. 
Da Sueto para a direita, Tari, Loïck, Falujah e Syria.
Sempre ficam nesta ordem.
Loïck é o único gatinho. 
Todos foram recolhidos em diferentes circunstâncias.
Saudades do Alep e da Mina

quarta-feira, 3 de abril de 2019

FELINISMO SE APRENDE DE PEQUENA - Himari Yoshimura



International Grumiaux Violin Competition
Paganini - Violin Concerto No. 1
(excerpt of 1st mvt)

Niccolò Paganini was an Italian violinist, violist, guitarist, and composer. He was the most celebrated prodigy violinist virtuoso since he was a child, and left his mark as one of the pillars of modern violin technique. His 24 Caprices for Solo Violin Op. 1 are among the best known of his compositions, and have served as an inspiration for many prominent composers.

The International Grumiaux Competition for Young Violinists is held annually and takes place at the Royal Conservatory of Brussels in Belgium. It was first held in 2008 under the name of "Bravo".
In 2015, the competition was renamed in honor of Arthur Grumiaux, and is now called Concours International Grumiaux pour Jeunes Violonistes (International Grumiaux Competition for Young Violinists).

sábado, 16 de fevereiro de 2019

PEQUENO DICIONÁRIO DO FELINISMO - Sororidade

Sororidade -apesar de ser usado há mais de 40 anos, se você procurar esse termo em um dicionário, ele o remeterá para “sonoridade”, depois de afirmar que aquela palavra não está cadastrada. O que para alguns continua a ser uma espécie de erro é, na verdade, um conceito que acaba com todos os preconceitos segundo os quais as mulheres não conseguem ser amigas, que são rivais entre si por natureza ou que são mais cruéis entre elas. Nos anos 70, a escritora norte-americana Kate Millett cunhou o termo sisterhood e depois disso as feministas francesas começaram a usar sororité. Atualmente, a antropóloga e política mexicana Marcela Lagarde, uma das maiores divulgadoras do conceito em língua espanhola, o define como “o apoio recíproco entre as mulheres para se conseguir o poder para todas”. É uma aliança entre as mulheres, que proporciona a confiança, o reconhecimento mútuo da autoridade e o apoio. “Trata-se de pactuar de maneira limitada e pontual algumas coisas com cada vez mais mulheres. Somar e criar vínculos. Assumir que cada uma é um elo no encontro com muitas outras”, escreve Lagarde.

PEQUENO DICIONÁRIO DO FELINISMO- Sororidade

Sororidade -apesar de ser usado há mais de 40 anos, se você procurar esse termo em um dicionário, ele o remeterá para “sonoridade”, depois de afirmar que aquela palavra não está cadastrada. O que para alguns continua a ser uma espécie de erro é, na verdade, um conceito que acaba com todos os preconceitos segundo os quais as mulheres não conseguem ser amigas, que são rivais entre si por natureza ou que são mais cruéis entre elas. Nos anos 70, a escritora norte-americana Kate Millett cunhou o termo sisterhood e depois disso as feministas francesas começaram a usar sororité. Atualmente, a antropóloga e política mexicana Marcela Lagarde, uma das maiores divulgadoras do conceito em língua espanhola, o define como “o apoio recíproco entre as mulheres para se conseguir o poder para todas”. É uma aliança entre as mulheres, que proporciona a confiança, o reconhecimento mútuo da autoridade e o apoio. “Trata-se de pactuar de maneira limitada e pontual algumas coisas com cada vez mais mulheres. Somar e criar vínculos. Assumir que cada uma é um elo no encontro com muitas outras”, escreve Lagarde.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

MEU CALENDÁRIO EM SÃO PAULO


Foto tirada pela Flam de meu calendário em São Paulo no bairro da Liberdade.
Gostei muito do lugar.

sábado, 9 de fevereiro de 2019

SUETO E O FUSCA

.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

IGNORADA PELO FEMINISMO, EM MEIO A UM MUNDO MASCULINO, THERESA MAY SE VIRA COMO PODE

.
Theresa May vai sobrevivendo como pode tendo herdado a árdua missão de dar andamento ao Brexit.
Ignorada pelo feminismo para o qual parece não oferecer o perfil cultuado de rebeldia contra o mundo machista tampouco reúne as condições de encanto físico e charme pessoal que pudesse chamar a atenção do público masculino.Bem longe disto.
Seria uma felina? O felinismo poderia ir em socorro de sua figura um tanto quanto desemparada?
Não tem as qualidades básicas de uma felina mas, por outro lado, o felinismo tem por princípio prestigiar as fêmeas em desemparo.
Não tem as qualidades mas poderia começar a ter a nossa simpatia.
E, pelo menos, parece sincera em seus esforços para dançar, requebrando e até dando uma voltinha expondo o traseiro.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

DIA A DIA DE UMA GATA

Gatos tem muito a ver com crianças. São curiosos e estão sempre investigando o que encontram ao redor costumeiramente se enfiando em qualquer espaço  que possam entrar.
E assim como crianças envolvem-se em situações de risco.
Hoje foi a vez da Sueto enfiar a cabeça dentro de um saquinho aluminizado de café que encontrou e tirou de um cesto com papéis
Por sorte eu estava por perto e constatei o fato porque ela não estava conseguindo tirar a cabeça para fora.
Tirei o saquinho, peguei-a no colo por um tempo.
Tão logo a soltei, no entanto, saiu a procurar uma outra aventura para experimentar.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

DANSONS LA CAPUCINE


- Stop, stop, arrête... Arrête, c'est mauvais.
- Ben quoi? Qu'est-ce qu'il y a?
- Ben y a que tu n'es pas dans le rythme.
 - Tu rigoles, j'étais super synchro. Regarde.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

GUILHERMINA ( MINA)

Mina, a gatinha que convive na pousada da Gata Sueto, deve seu nome à Guilhermina Augusta Xavier de Medin Suggia (  1885, Porto - 1950 ,Porto)  célebre violoncelista portuguesa que  revolucionou o instrumento em técnica, posição e sonoridade.

Abriu as portas profissionais do violoncelo às mulheres, até então quase fechadas. De fato, o considerável gasto de energia exigido para manejar a envergadura do violoncelo, acrescido do fato de as boas maneiras da época obrigarem a colocar o instrumento de um ou outro lado do corpo obrigando a uma significativa contorção do dorso, tornava o instrumento ainda mais inacessível às executantes femininas. Note-se que ainda em 1930 o violoncelo era tido como um instrumento indecoroso para as mulheres, sendo então proibida a contratação de violoncelistas mulheres pela própria orquestra da BBC !


Em 1906 Suggia está em Paris e toca para Casals, que havia conhecido oito anos antes em Espinho, e com quem se tinha reencontrado em Leipzig, durante as visitas do catalão ao professor Julius Klengel. Nesse mesmo ano começa a partilhar com ele a mesma casa, a Villa Molitor, sendo famosos o convívio do casal com pintores, músicos, filósofos e escritores. O romance com Pau Casals, músico famoso, encheu as páginas dos jornais. O compositor húngaro Emánuel Moór dedicou-lhes o "Concerto para dois violoncelos".

Todavia em 1913 o casal separa-se de uma forma abrupta, possivelmente por motivos passionais. Guilhermina muda-se para Londres no ano seguinte e Casals casa-se com uma cantora norte-americana.


sábado, 31 de março de 2018

sexta-feira, 30 de março de 2018

HÁ HUMANOS QUE NOS TRATAM COMO BRINQUEDINHOS

.
Este é um pequeno exemplo de humanos que tratam a nós, felinos, como brinquedinhos. O que são essas risadinhas?  De debilóides, são uns retardados que não tiveram infância....E vou avisando para quem olhar o vídeo, NÃO tem graça...

terça-feira, 27 de março de 2018

NOVO INQUILINO

.
P.R., meu inquilino, me apareceu com esse gatinho aqui em casa.
Diz que quer adotar.
Bem, uma coisa já deixei bem claro prá ele.
Pode adotar, mas já pode procurar outro lugar prá morar....

sexta-feira, 9 de março de 2018

MEU CALENDÁRIO & FLAM

.Minha amiga Flam, de São Paulo, me acompanha há um bom tempo.
Para o meu calendário de 2017 montou essa interessante composição que apreciei muitíssimo.
O calendário de 2018 atrasou, ainda quero ver se sai.
Ando meio preguiçosa, mais relaxada, fazendo uma avaliação de minha vida.
Talvez notem isso.
Enfim, a vida tem fases e é preciso saber viver cada uma delas de acordo com o que oferece.   

quinta-feira, 1 de março de 2018

MARILY

.Essa é a Marily e mora em São Paulo.
P.R. convidou, a meu pedido,  para tirar férias em Pelotas mas a Flam, sua secretária, esclareceu que ela é pouco sociável, que morre de medo das pessoas.
Pois então, tá na hora mudar de ares, de me fazer uma visita que vamos sair por aí pelos telhados.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

MARIA CLARA

.Maria Clara acompanha o Neco Tavares, fotógrafo e artista plástico, em suas criações.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

FILÓ

Filó, uma gatinha, está começando a estudar o terreno na casa da Marli.
Ficou de me manter inteirada do que acontece por lá.
Ainda é novinha mas já começa a ter um domínio da situação.
Logo, logo, esse domínio vai ser total e vai, então, ditar as regras.
E teremos mais uma inquilina na nossa relação. 

domingo, 18 de fevereiro de 2018

VIOLETA

.Amor sem apego, sensibilidade, equilíbrio, graça, ronronar reconfortante....O mágico e misterioso gato se liga ao céu e à terra, ao mundo selvagem e ao ambiente doméstico.
Nas palavras de Janice Weber isto é o que representam os gatos e, em especial, sua gata Violeta de 12 anos, que segundo diz é "arredia, escolhe meticulosamente seus amigos humanos e é feliz comigo"

sábado, 13 de janeiro de 2018

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

A LIBERDADE DE IMPORTUNAR - Catherine Deneuve questiona a onda de acusações de assédio

Catherine Deneuve no filme "A Bela da Tarde"
Catherine Deneuve e 100 escritoras, artistas e académicas defendem que os homens devem ter “a liberdade de importunar”
A atriz francesa faz parte de um coletivo que inclui também Catherine Millet e Ingrid Caven e assinou uma carta aberta no Le Monde. Rejeitam um feminismo que “exprime ódio pelos homens” e insurgem-se contra “uma caça às bruxas”.

“A violação é um crime. Mas o flirt insistente ou inconveniente não é um delito, nem o galanteio é uma agressão machista.” Começa assim a carta aberta publicada esta terça-feira no jornal Le Monde. Com o título Defendemos a Liberdade de Importunar, Indispensável à Liberdade Sexual, foi assinada por 100 mulheres proeminentes em França, entre actrizes como Catherine Deneuve, que desde o ano passado se insurge em entrevistas contra esta nova realidade de denúncia de abusos, ou a alemã Ingrid Caven e escritoras como Catherine Millet, fundadora e editora da revista Art Press e autora de A Vida Sexual de Catherine M., bem como académicas. Um dia depois, as feministas francesas responderam.
É uma reacção a movimentos como #MeToo – e o equivalente francês, #BalanceTonPorc – e Time’s Up, que foi altamente visível na edição deste ano dos Globos de Ouro norte-americanos. São iniciativas que têm gerado cabeçalhos e tentado mudar mentalidades em Hollywood, mas, diz a carta, têm ido demasiado longe depois das acusações contra Harvey Weinstein.
“Era necessária” a “tomada de consciência das violências sexuais exercidas sobre as mulheres no quadro profissional, onde certos homens abusam do seu poder“, mas agora essa “libertação da palavra”, de mulheres começarem a não ter medo de falar, transformou-se no seu contrário, dizem. Forçam-se as pessoas a falarem da forma correcta e silenciam-se aqueles que não “caem na linha, e aquelas mulheres que se recusaram a vergar-se” a esta nova realidade “são vistas como cúmplices e traidoras”.
A carta, que fala de “uma onda de purificação puritana”, defende que “homens foram castigados e forçados a abandonarem os seus empregos quando tudo o que fizeram foi tocar no joelho de alguém ou tentar roubar um beijo”. Viram os seus nomes manchados por “falarem sobre temas íntimos durante jantares profissionais ou [por] enviarem mensagens com conteúdos sexuais a mulheres” que não foram recíprocas nesses avanços. É um movimento que alimenta um regresso à “ideia vitoriana de que mulheres eram meras crianças que tinham de ser protegidas”.
Quem pede aumentos salariais, escrevem, “não vai ficar traumatizada para sempre por um apalpador no metro”, algo que é um “não-evento”, mesmo que seja um crime. “As mulheres estão suficientemente conscientes de que o desejo sexual é por natureza selvagem e agressivo”. E também sabem “não confundir uma tentativa confrangedora de engatar alguém como um ataque sexual”. “Como mulheres, não nos revemos neste feminismo que, para além de denunciar o abuso de poder, transforma-se num ódio aos homens e à sexualidade“, dizem.
Dizem também que o facto de homens serem forçados a “confissões públicas” e a pedir desculpa por “comportamentos impróprios que podem ter acontecido há dez, 20 ou 30 anos” é uma lembrança demasiado próxima das “sociedades totalitárias”..

TANGO

Um dia Tango me apareceu na praia.
Cães de rua perambulam de um lado para o outro, em grande número, em condições miseráveis.
Tango estava num estado lastimável de infestação por sarna, sem pelos, praticamente só com a pele.
Fui então dando-lhe ração e água e procurando combater a sarna.
Demorou um tempo mas, finalmente, chegou o dia em que seu pelo foi se recuperando só ficando a descoberto uma parte que  dava a impressão de ter sofrido uma queimadura.
Essa queimadura passou a ser a sua marca registrada.
Logo a seguir de cão de rua passou a ser cão de pátio.
Como não moro na praia costumava vê-lo , quando não todos os dias, em dias alternados.
Adorava sair a caminhar comigo e eu com ele.
Uma noite de fim de ano, no entanto, cometi um erro do qual nunca me perdoo.
Deixei-o sozinho na casa, que é fechada na frente com tela, uma tela alta.
Quando fui vê-lo no outro dia já não o encontrei.
Tinha cavado um buraco por baixo da tela e se foragido certamente assustado com os fogos.
Procurei-o por um bom tempo, sempre buscando, além da sua aparência, pela marca da queimadura.
Em vão.
Desde então todo fim de ano lembro-me do ocorrido e fico profundamente triste.
E reforço meu convencimento de que os fogos devem acabar.
Prometi isto a mim mesmo e pela memória de Tango já que sei que a mim nunca vou perdoar. 

domingo, 10 de dezembro de 2017

Falujah, agradecendo o fim da guerra

.Falujah no culto muçulmano agradecendo o fim da guerra na Syria que trouxe tanta destruição e dor.
O número de mortos no conflito passa das 450 mil pessoas, sendo mais da metade de civis.  Mais de quatro milhões de sírios teriam buscado refúgio no exterior para fugir dos combates, com a maioria
destes tomando abrigo no vizinho Líbano. O conflito também gerou uma enorme onda migratória de sírios e árabes em direção a Europa, sem paralelo na história do continente desde a Segunda Guerra Mundial.